×
  • A lixeira que suga até 83 mil sacos plásticos por ano com energia solar

    Ideia é utilizá-la em portos e embarcadouros, onde o vento e as correntes aumentam a acumulação de resíduos.

    Uma enorme quantidade de resíduos plásticos espalhados pelos oceanos inspirou uma dupla de surfistas australianos a criar uma lixeira flutuante. (Assista ao vídeo)
    Apelidado de “Seabin”, o invento, que pode sugar pedaços de plástico de diferentes tamanhos e até pequenas quantidades de combustível, tem uma bolsa de tela removível, que pode ser esvaziada quando ficar cheia.
    Segundo os criadores, a lixeira flutuante funciona com um mecanismo alimentado por energia solar. A ideia é utilizá-la em portos e embarcadouros, onde o vento e as correntes aumentam o acúmulo de resíduos. O projeto deverá ser comercializado neste ano.
    A “lixeira aquática” pode coletar 1,5 kg de lixo por dia, o que dá 83 mil sacolas de plástico por ano. Estima-se que 5 milhões de toneladas de plástico sejam jogados aos mares todos os anos.

    Peter Ceiglinski, um dos fundadores do Projeto Seabin, defende que, se várias dessas lixeiras forem espalhadas pelos oceanos, o impacto pode ser significativo.
    “Suga pedaços pequenos, pedaços grandes, microplástico e óleo também. Elas são relativamente pequenas, mas até que estão tendo impacto importante. Se colocarmos centenas de milhares de Seabins, o resultado se soma”, afirmou.
    Atualmente, mais de 5 trilhões de pedaços de plástico, que pesam, no total, 270 toneladas, estão flutuando nos oceanos do planeta, provocando danos diretos aos animais marítimos e à cadeia alimentar, conforme pesquisa publicada no jornal acadêmico PLOS One.

     

    Conforme os dados coletados por cientistas dos Estados Unidos, França, Chile, Nova Zelândia e Austrália, a maioria dos detritos encontrados são “microplásticos” que medem menos de 5 milímetros.
    O volume foi calculado durante 24 expedições que duraram seis anos e foram concluídas em 2016.
    Pedaços grandes de plástico podem estrangular animais, como tartarugas marinhas e golfinhos, enquanto os pedaços menores são engolidos por peixes, sendo inseridos na cadeia alimentar até chegar aos seres humanos.

     

    Fonte: G1. Fotos: BBC.

    Saiba mais
  • Construções do Minha Casa, Minha Vida passarão a ter painéis de energia solar

    Uma boa notícia para os beneficiários do programa Minha Casa, Minha Vida pode estar prestes a ser anunciada. De acordo com a posição do ministro das cidades Bruno Araújo, uma equipe estaria trabalhando para implementar uma portaria que determinasse que imóveis do programa ganhem painéis de geração de energia solar. A novidade teria sido anunciada pelo ministro durante um evento na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), segundo informações da Agência Brasil.

    A novidade surge após a divulgação de um estudo realizado em parceria com a Fiesp e com Furnas sobre a implementação de energia fotovoltaica nas unidades do programa habitacional. De acordo com o veículo, o ministro assegurou que novas informações sobre a decisão deverão ser anunciadas ainda nesta semana. A expectativa é que os imóveis construídos a partir de 2018 já estejam gerando energia solar.

    O estudo aponta ainda que o custo das moradias não deverá sofrer alterações com a implantação dos painéis de geração de energia fotovoltaica, que serão adicionados ao telhado das construções. Apesar disso, a energia solar não deverá substituir completamente a energia tradicional nos imóveis do programa, mas servir como um complemento, gerando parte da energia utilizada no imóvel e reduzindo o valor da conta.

    Desde a segunda fase do Minha Casa, Minha Vida, todas as residências do programa para famílias com renda de até três salários mínimos localizadas nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste já precisavam vir obrigatoriamente equipadas com sistemas de captação de energia solar. O uso desta energia era destinado ao aquecimento da água do chuveiro, segundo informações do Portal Brasil.

     

    Fonte: Hypeness.

    Saiba mais
  • Powerbank Helio recarrega com energia solar e também funciona como lanterna

    Powerbank Helio recarrega com energia solar e também funciona como lanterna

    O Hélio é um powerbank que pode ser alternativa para quem fica dias em locais afastados sem fonte de eletricidade por perto. Equipado com um painel solar, o aparelho usa luz natural para recarregar uma bateria interna de 5.200 mAh e oferecer duas opções de iluminação artificial: com os modos lâmpada e lanterna. Segundo os criadores, o dispositivo funciona continuamente com uma hora diária de exposição ao sol. A pré-venda acontece no site Kickstarter por US$ 64 (R$ 202) incluindo frete para o Brasil.

    A bateria do Helio é suficiente para recarregar cerca de três vezes a bateria de um iPhone 8 ou duas vezes a de um iPhone 8 Plus. A entrada USB do equipamento oferece 10 watt de potência, entregando energia mais rapidamente que um carregador de parede comum. Há, ainda, uma porta USB secundária que permite ligar o powerbank na rede elétrica, ideal para levar o produto devidamente carregado para uma viagem noturna.

    O gadget foi pensado para aventureiros que necessitam de uma fonte de energia em qualquer lugar. Por isso, o Helio tem um design que permite fixar o corpo no alto para alcançar os raios de luz até em locais encobertos por mata fechada. Outra função importante nessas situações é a luz vermelha, ideal para usar à noite sem perturbar o sono do dono e dos animais silvestres ao redor.

    Durabilidade

    Os criadores do powerbank Helio pretendem entregar um produto durável. Apesar da carcaça robusta, o principal destaque está nos componentes internos, que incluem expectativa de 3,5 a 5 anos de vida útil. No dia a dia, o equipamento pode funcionar no modo lâmpada ou lanterna por até 700 horas na potência baixa, com 3 ou 4 lúmens de intensidade, com uma hora de carga solar.

    Entre 25 e 30 lúmens, a duração baixa para 120 horas; e no modo máximo, com 140 a 150 lúmens, para 15 horas. Para obter esse rendimento, é preciso recarregar a bateria totalmente.

    Encomenda

    A campanha do Helio no Kickstarter ainda tem um mês para chegar ao fim, mas já arrecadou sete vezes mais do que o objetivo inicial. Quem comprar o produto nesse período garante um preço mais baixo, mas terá que esperar pela entrega estimada para dezembro.

    Fonte: Techtudo.

    Foto: reprodução Kickstarter.

    Saiba mais
  • Como funciona a energia solar fotovoltaica?

    Como funciona?

    As células fotovoltaicas (ou células solares) são feitas a partir de materiais semicondutores (normalmente o silício). Quando a célula é exposta à luz, parte dos elétrons do material iluminado absorve fótons (partículas de energia presentes na luz solar).

    Os elétrons livres são transportados pelo semicondutor até serem puxados por um campo elétrico. Este campo elétrico é formado na área de junção dos materiais, por uma diferença de potencial elétrico existente entre esses materiais semicondutores. Os elétrons livres são levados para fora da célula solar e ficam disponíveis para serem usados na forma de energia elétrica.

    Ao contrário do sistema heliotérmico, o sistema fotovoltaico não requer alta irradiação solar para funcionar.

     

     

    Fonte: Ecycle.

    Saiba mais
  • Veja 10 aparelhos que mais consomem energia elétrica, mesmo desligados:

    Sua conta de energia é alta e você vive procurando lembrar o que fez de errado durante o mês? Se você levou uma vida normal, sem qualquer tipo de consumo extra, como receber visita por alguns dias; é provável que energia elétrica esteja sendo consumida por aparelhos domésticos que você desliga, mas não tira da tomada.

    Sim, a gente sabe que esse é o tipo de conversa que sua avó ou seus pais viviam repetindo por aí, mandando você não esquecer de “puxar” a TV ou o videogame da tomada; mas a verdade é que eles têm razão. Mesmo desligados, os eletrônicos e eletrodomésticos consomem energia elétrica, mesmo sem estar em atividade, para manter suas luzes, timers e outras funções ligadas. Isso obviamente, reflete em sua conta de energia.

    O pior de tudo é que a TV e o videogame, como dissemos, estão longe de serem os únicos vilões no consumo de energia em sua casa. Nem mesmo seu carregador de celular está livre desse problema e pode subir sua conta em até 10%, caso você o deixe conectado à tomada mesmo fora de uso.

    É assim também com o computador, com a cafeteira, com o micro-ondas e com inúmeros outros aparelhos que a gente ama deixar na tomada, só para ver aquela luzinha de stand-by acesa, sabe? Mas, o mais chocante mesmo é a quantidade de energia que eles podem consumir!

     

    1 – Computador

    Seja no escritório, seja em casa, a verdade é que todo mundo tem preguiça de desconectar o computador de mesa da tomada. Não é mesmo?

    O problema é que, mesmo não estando completamente ligado, o desktop consome energia elétrica: em repouso, por exemplo, ele consome até 21W por hora. Em ação, esse consumo passa para 80W por hora, o suficiente para manter quatro lâmpadas fluorescentes ligadas durante todo o dia.

    2 – Videogame

    Outro dos aparelhos que parecem inocentes é o videogame, no entanto, o consumo de energia elétrica desse tipo de eletrônico é alto. Em funcionamento, eles consomem até 23W por hora e, desligados, mas conectados à tomada, eles puxam 1W por hora!

    3 – Aparelho de som

    Sim, essa é uma “espécie em extinção” entre os aparelhos domésticos, mas tem gente que ainda o utiliza e, claro, o deixa ligado constantemente à tomada. Aliás, se estiver desligado, mas plugado, ele consome até 15 W por hora. Isso faz com que ele consuma até 20% mais energia elétrica se passar uma hora desligado, mas plugado, que se passar uma hora ligado em volume baixo.

    4 – Notebook

    Este é um dos aparelhos mais utilizados da lista e, por isso, um dos mais preocupantes. Isso porque, se você deixá-lo ligado à tomada, mesmo desligado, o consumo de energia elétrica é muito alto: mais de 15W por hora.

    5 – Telefone sem fio

    Este é meio complicado de tirar da tomada, mas, na verdade, ele consome bastante energia elétrica. Ao todo, são 3W por hora, durante todo o tempo que ele permanece conectado, mesmo sem estar em operação.

    6 – Micro-ondas

    Sabe quando você não está usando o micro-ondas, mas deixa o timer ligados? Isso é o suficiente para consumir mais de 3W por hora.

    7 – Televisão

    Quem, nesse mundo, desliga a TV da tomada? Ninguém faz isso, mas deveria. Mesmo sem mostrar imagem alguma, se estiver com a luz de stand-by ligada, ela está consumindo energia elétrica por causa de seus painéis de luz, sensores e outros recursos. Só para você saber, ela pode consumir até 3W por hora, mesmo desligada.

    8 – Carregador de celular

    Confesse, você também deixa o carregador do celular ligado na tomada, mesmo quando não está carregando o celular, não é mesmo? Isso pode não parecer nada, mas faz diferença na conta de energia no final do mês, já que o consumo médio de um carregador é de 0,26W por hora quando não está em uso e de 1W a 5W por hora, mesmo quando um aparelho totalmente carregado está ligado nele.

    9 – Decodificador de TV a cabo

    E, se ninguém desliga a TV, o que dizer do decodificador da TV a cabo? Embora seja ótimo só ter que pegar o controle na hora de assistir seu programa favorito, se você fizer um esforço a mais e só ligar este aparelho na tomada neste momento, você vai impedir que ele consuma de 6,5 W a 14 W por hora.

    10 – Cafeteira

    Sim, manter seu cafezinho quente custa dinheiro. A cafeteira elétrica, por exemplo, consome 1W por hora só de ficar com o cabo de energia conectado na tomada.

     

    Fonte: Segredos do Mundo.

    Saiba mais
  • Carro movido a energia solar pode viajar por mais de 1 mil km com uma única carga

    Criado por alunos da Eindhoven University of Technology, na Holanda, o Stella Lux é um carro com painéis solares instalados no teto, que pode transportar quatro pessoas durante 1 mil quilômetros com uma única carga. Além disso, possui itens que o tornam ainda mais seguro, rápido e com um consumo eficiente, como o sistema de geolocalização, que ajuda o motorista a encontrar a rota mais curta. “Ao combinar um design aerodinâmicocom materiais leves, como o carbono e alumínio, os estudantes de Eindhoven chegaram a um formato muito eficiente em termos de energia”, explica Tom Selten, chefe da equipe.

    (mais…)

    Saiba mais
  • Um futuro brilhante e multibilionário para a energia solar

    Relatório lançado pelo Greenpeace mostra que geração de eletricidade por painéis solares será competitiva na próxima década, com mercado de 300 bilhões de euros por ano em 2030. (mais…)

    Saiba mais
  • Microgeração de energia renovável no Jornal Nacional

    Assista a reportagem sobre a energia solar em residências brasileiras. (mais…)

    Saiba mais